23. dic, 2020

23 Dezembro - Gregório de Matos

Hoje em Salvador em 1636 nascia Gregório de Matos, alcunhado de Boca do Inferno ou Boca de Brasa. 
Foi um advogado e poeta do Brasil Colônia, considerado um dos maiores poetas do barroco em Portugal e no Brasil e o mais importante poeta satírico da literatura em língua portuguesa no período colonial.
A alcunha boca do inferno foi dada a Gregório por sua ousadia em criticar, como neste soneto onde criticava a cidade de Salvador:

    Tristes sucessos, casos lastimosos,
    Desgraças nunca vistas, nem faladas.
    São, ó Bahia, vésperas choradas
    De outros que estão por vir estranhos

    Sentimo-nos confusos e teimosos
    Pois não damos remédios as já passadas,
    Nem prevemos tampouco as esperadas
    Como que estamos delas desejosos.

    Levou-me o dinheiro, a má fortuna,
    Ficamos sem tostão, real nem branca,
    macutas, correão, nevelão, molhos:

    Ninguém vê, ninguém fala, nem impugna,
    E é que quem o dinheiro nos arranca,
    Nos arrancam as mãos, a língua, os olhos.

facebook.com/Eddybedendo/
instagram.com/eddyiguazu/

Hoje em Salvador em 1636 nascia Gregório de Matos, alcunhado de Boca do Inferno ou Boca de Brasa.
Foi um advogado e poeta do Brasil Colônia, considerado um dos maiores poetas do barroco em Portugal e no Brasil e o mais importante poeta satírico da literatura em língua portuguesa no período colonial.
A alcunha boca do inferno foi dada a Gregório por sua ousadia em criticar, como neste soneto onde criticava a cidade de Salvador:

Tristes sucessos, casos lastimosos,
Desgraças nunca vistas, nem faladas.
São, ó Bahia, vésperas choradas
De outros que estão por vir estranhos

Sentimo-nos confusos e teimosos
Pois não damos remédios as já passadas,
Nem prevemos tampouco as esperadas
Como que estamos delas desejosos.

Levou-me o dinheiro, a má fortuna,
Ficamos sem tostão, real nem branca,
macutas, correão, nevelão, molhos:

Ninguém vê, ninguém fala, nem impugna,
E é que quem o dinheiro nos arranca,
Nos arrancam as mãos, a língua, os olhos.

facebook.com/Eddybedendo/
instagram.com/eddyiguazu/

Ultimi commenti

27.10 | 04:57

Muito bem lembrado! São muitas as implicações e as análises possíveis de interpretação. Aqui no blog, onde se trata de arte e não de psicanalise ou ética, eu me limito à descrição artistica do mito.

27.10 | 03:33

Eddy, na Grécia Antiga, uma humilhação devia ser retribuída, aquele que não o fazia passava por dupla vergonha, a desonra sofrida e a covardia por não cobrar vingança; em Medéia a questão é ética.

06.10 | 06:35

Sono ansioso di conoscere le due performance.

28.09 | 11:33

👏👏👏

Condividi questa pagina