16. mar, 2021

16 Março - Lupe Cotrim

Hoje em São Paulo em 1933 nascia Lupe Cotrim Garaude, poetisa e tradutora brasileira, professora da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.
Foi dos nomes de destaque da poesia brasileira da década de 1960.  A sua condição de escritora, poeta, professora formada em filosofia lhe permitiu enfrentar, melhor que ninguém, aqueles desafios, especialmente na agitação de 1968.
Foi uma liderança decisiva naquela conjuntura, e seu curso representou a experiência mais densa, do ponto de vista intelectual e político, daquele ano.
Infelizmente, tudo isso foi interrompido por um câncer e sua metástase um mês antes de ela completar 37 anos.

SAUDADE
 
A saudade é o limite da presença,
estar em nós daquilo que é distante,
desejo de tocar que apenas pensa,
contorno doloroso do que era antes.

Saudade é um ser sozinho descontente
um amor contraído, não rendido,
um passado insistindo em ser presente
e a mágoa de perder no pertencido.

Saudade, irreversível tempo, espaço
da ausência, sensação em nós premente
de ser amor somente leve traço

num sonho vão de posse permanente.
Saudade, desterrada raiz, vida
que se prolonga e sabe que é perdida.

Seguimi:
www.eddytur.it 
instagram/eddyiguazu/
facebook/Eddybedendo/
youtube/EdegliEinardBedendo

Hoje em São Paulo em 1933 nascia Lupe Cotrim Garaude, poetisa e tradutora brasileira, professora da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.
Foi dos nomes de destaque da poesia brasileira da década de 1960. A sua condição de escritora, poeta, professora formada em filosofia lhe permitiu enfrentar, melhor que ninguém, aqueles desafios, especialmente na agitação de 1968.
Foi uma liderança decisiva naquela conjuntura, e seu curso representou a experiência mais densa, do ponto de vista intelectual e político, daquele ano.
Infelizmente, tudo isso foi interrompido por um câncer e sua metástase um mês antes de ela completar 37 anos.

SAUDADE

A saudade é o limite da presença,
estar em nós daquilo que é distante,
desejo de tocar que apenas pensa,
contorno doloroso do que era antes.

Saudade é um ser sozinho descontente
um amor contraído, não rendido,
um passado insistindo em ser presente
e a mágoa de perder no pertencido.

Saudade, irreversível tempo, espaço
da ausência, sensação em nós premente
de ser amor somente leve traço

num sonho vão de posse permanente.
Saudade, desterrada raiz, vida
que se prolonga e sabe que é perdida.

Seguimi:
www.eddytur.it
instagram/eddyiguazu/
facebook/Eddybedendo/
youtube/EdegliEinardBedendo

Ultimi commenti

27.10 | 04:57

Muito bem lembrado! São muitas as implicações e as análises possíveis de interpretação. Aqui no blog, onde se trata de arte e não de psicanalise ou ética, eu me limito à descrição artistica do mito.

27.10 | 03:33

Eddy, na Grécia Antiga, uma humilhação devia ser retribuída, aquele que não o fazia passava por dupla vergonha, a desonra sofrida e a covardia por não cobrar vingança; em Medéia a questão é ética.

06.10 | 06:35

Sono ansioso di conoscere le due performance.

28.09 | 11:33

👏👏👏

Condividi questa pagina